Posted on 16:07 No comments
1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?
O título em português não tem nada a ver com o nome original do livro, que é: "Florence and Giles", porém me chamou muito a atenção, acho que pelo fato de lembrar "A menina que roubava livros". Essa com certeza foi a intenção, despertar curiosidade nos leitores por causa dessa semelhança no nome. Além do título, a capa também é bem agradável e bonita, que ajuda a encher os olhos de qualquer um, porém ao decorrer da leitura eu percebi que não combina em nada com a história, diferente da capa original que tem tudo a ver com o enredo cheio de suspense gótico. Olhando para o livro você espera um enredo extremamente doce sobre a descoberta de uma paixão pelo mundo literário por uma menina que não sabe ler, mas depois que você começa a ler o livro descobre um enredo misterioso, com fantasmas que aparecem no espelho e pessoas que morrem ou desaparecem inexplicavelmente.
O livro é narrado em primeira pessoa pela personagem Florence, uma menina de 12 anos que tem um irmão três anos mais novo, chamado Giles. Os dois são órfãos e vivem em Blithe House, uma mansão do seu tutor e tio. Os irmãos não conhecem o tio realmente, pois ele vive viajando e não gosta de ser incomodado. Porém, seu tio possui opiniões bem rígidas em relação à educação das mulheres, e não permite que Florence tenha contato com os livros. Mas Florence esperta como só ela, descobre métodos de ficar mais próxima dos livros e consegue aprender a ler sozinha e escondida de todos. Após a trágica morte no lago da preceptora sra. Whitaker, Florence e Giles recebem a nova preceptora srta. Taylor. Uma mulher misteriosa e que desde a sua chegada tirou o sossego de Florence.
O livro começa bem parado, demorei um bom tempo para lê-lo, na verdade eu comecei e depois parei e depois voltei a ler novamente, o que me desanimou bastante. Outra coisa foi o fato de eu ter descoberto algumas resposta que a protagonista não conseguiu e isso é um pouco ruim porque você espera que ela saque esses pontos também. Outro ponto que me decepcionou um pouco foi o final em que alguns acontecimentos mudaram totalmente minha perspectiva sobre Florence que parece ter algum problema psicológico que altera sua visão de ver o mundo ao seu redor, claro que esse assunto não é abordado no livro então tudo que fica para quem ler é uma grande pergunta. 
A diagramação do livro esta ótima, não achei nenhum erro ortográfico e nem de digitação e a capa esta simplesmente linda. Algo que achei interessante no livro é que o autor tentou seguir os passos do mestre do terror literário Edgar Allan Poe. Ele conseguiu escrever uma história inteligente e criativa com um ambiente mórbido protagonizado por uma garota de doze anos e seu irmão caçula em uma mansão sombria e cheia de mistérios. 
Coloquei abaixo a capa original do livro, que eu acho que tem mais haver com a história!



 






0 comentários:

Postar um comentário