Posted on 09:22 1 comment


A pílula do amor
Esta poderia ser mais uma daquelas histórias em que a protagonista está na faixa dos 30 anos, é bonita, descolada, tem um emprego legal, uma mãe meio rebelde e sonha com um grande amor que de preferência não dê muitos palpites em sua vida. Poderia, se Amanda não contasse com um ingrediente a mais: ela é totalmente, absolutamente, hipocondríaca. Não passa uma semana sem se presentear com uma consulta ao novo especialista da cidade, seja lá qual for a especialidade.A chegada de Brian à vida de Amanda bem que poderia dar uma virada de mesa nessa situação, mas ele tem um cachorro, o que inviabiliza qualquer possibilidade de romance. Afinal, Amanda prefere morrer solteira a conviver com os milhares de germes que habitam o corpo daquele animal "selvagem"... A pílula do amor é um romance sobre neuras, mas sobretudo sobre tolerância. Brian saberá dar a Amanda o remédio de que ela no fundo precisa? E Amanda conseguirá descobrir qual é a verdadeira causa de seu problema e poderá ter uma vida normal e feliz? Descubra a resposta na divertida história de Drica Pinotti, um livro que fará você rir muito, lembrar de pessoas conhecidas e, principalmente, parar para pensar se não está levando as coisas muito a sério.
Amanda Loeb, nossa protagonista, é advogada, independente, mora em um ótimo apartamento em Nova Iorque e está para completar 30 anos, além de ser hipocondríaca. Para quem não sabe, uma pessoa com essa doença acredita ser portador de várias doenças, uma simples dor de cabeça para ela pode ser sinônimo de um AVC, uma simples ressaca vira uma cirrose e por aí vai.

A vida da nossa hilária protagonista gira em torno da doença. Seu computador já tem sites sobre doenças salvos nos favoritos, seu apartamento foi escolhido por estar próximo de dois grandes hospitais, o que garantiria para ela um rápido socorro. Já dá pra imaginar que ela não consegue ter um relacionamento sério com ninguém, né? Afinal os caras não conseguem aguentar por muito tempo suas crises. Mas tudo isso muda (ou não!) quando ela conhece Brian, seu vizinho dono de um pit bull (que ela carinhosamente chama de cachorro assassino kk só não conto como ele ganhou esse apelido carinhoso porque se não estaria dando spoiler para vocês, mas a cena é bem engraçada!)

Embora, Amanda saiba que tem uma doença, ela não acha necessário ajuda de um profissional e ao longo do livro ela perturba sua mãe, irmã e seus melhores amigos com seus ataques, o que nos rende cenas hilárias. Então um aviso, eu pensaria duas vezes antes de ler esse livro na rua, porque vocês vão rir muito e as pessoas vão olhar como se vocês fosse loucas. #ficaadica

O livro da Drica é curto e de uma leitura bem leve e engraçada, ela conseguiu escrever uma história super bacana sem nunca deixar o clima de comédia virar um drama triste.Garanto que é impossível deixar de rir acompanhando as desventuras de Amanda de médico em médico, de doença em doença.

Obs.: A Drica já lançou outro livro sobre a nossa querida Amanda Loeb, se chama: Antídoto - Confissões de Uma Hipocondríaca Apaixonada. Eu ainda não tive a oportunidade de ler, na verdade fiquei sabendo a pouco tempo desse novo livro, mas assim que ler eu trago uma resenha bem caprichada para vocês haha





1 comentários:

  1. Estava a procura de um bom livro que me fizesse rir, e achei sua dica aqui. Vou começar a ler, espero dar boas risadas!
    Valeu pela resenha.

    ResponderExcluir